Os carboidratos são tidos como vilões das dietas, mas esse rótulo pode ser um tanto quanto tendencioso. A dieta low carb surgiu a partir de rumores como esse, e, neste post, vamos falar uma pouquinho sobre ela, trazendo algumas informações relevantes e os possíveis riscos dessa estratégia

Se você quer saber o que é e quais são as vantagens dessa dieta, confira a seguir! Boa leitura!

O que é?

Popular entre as famosas, a dieta low carb propõe o consumo maior de gorduras e proteínas, restringindo as porções carboidratos. O principal objetivo é reduzir a liberação de insulina, o que indiretamente, leva a queda da gordura corporal localizada.

A insulina é um hormônio que está intimamente ligado ao ganho de peso e ao consumo de carboidratos, por isso, controlá-la é uma oportunidade para ter também um melhor controle de peso.

Sendo assim, a dieta low carb permite o consumo de 20 a 100 gramas de carboidratos ao dia, e essa restrição deve ser determinada pelo profissional que estiver acompanhando o tratamento.

Dentre os alimentos restringidos e eliminados do cardápio, podemos destacar o arroz, os farináceos com glúten, a batata, o aipim, os processados, as frutas de alto índice glicêmico, e muitos outros.

Quais as vantagens?

A principal vantagem da dieta low carb é que as restrições alimentares podem resultar em efeitos rápidos, já que ocorre a eliminação de líquidos em um curto período de tempo.

Além disso, essa proposta pode ser interessante para quem precisa se alimentar fora de casa, já que a dieta não conta com grandes imposições e pode ser mantida por quem tem uma rotina atribulada.

Outro benefício que podemos destacar é a queima de gordura pelo corpo, que é forçado a entrar em “estado de cetose”, no qual a gordura corporal é utilizada como principal fonte de energia para garantir as funções vitais.

Em contrapartida, essa reação pode acarretar consequências a todo organismo, desequilibrando o funcionamento dos sistemas neurológicos e, até mesmo, do sistema digestivo.

Quais as desvantagens?

A dieta low carb não é recomendada para ser adotada como um estilo de vida. Como sabemos que dietas restritivas podem gerar desequilíbrios nutricionais, o ideal é mantê-la por curtos períodos de tempo, apenas para resultados rápidos e pontuais.

A reeducação alimentar é a única forma de garantir, de fato, que os efeitos obtidos com a low carb se mantenham.

Além disso, a metodologia dessa dieta ainda pode ocasionar sensações de cansaço, tonturas, dores de cabeça, fadigas e interferir negativamente na flora intestinal.

Por fim, ainda é importante ter em mente que a perda de peso, nesse caso, pode estar ligada apenas à eliminação de líquidos, não sendo real a mudança de números apresentada na balança.

Como deve se dar o acompanhamento?

Determinar-se a seguir a dieta low carb sem a supervisão e o acompanhamento de um profissional pode acarretar em consequências à sua saúde. O risco não é baixo, principalmente para pacientes que sofrem com intolerâncias.

O ideal é atrelar bem-estar e estética, por isso, primeiramente, converse com o seu nutricionista, pois apenas ele poderá identificar as suas reais necessidades e descobrir a viabilidade de pôr em prática tal metodologia.

Quais as contraindicações?

É importante alertar que, mesmo se destacando no modismo, a dieta é contraindicada para determinados grupos. Atletas e praticantes de atividades físicas de média e alta intensidade devem se submeter a avaliações prévias, e pacientes que sofrem com diabetes, doenças hepáticas, cardíacas e insuficiência renal também devem buscar aprovação profissional antes de investir na dieta low carb.

Gostou deste texto? Ele foi útil para você? Então compartilhe-o nas redes sociais com os seus amigos.