Quando posso tomar colágeno? Nutricionista Dra. Priscila Gontijo explica

| | ,

Quando se fala em suplementação de colágeno, uma dúvida que pode surgir é de quando se pode tomar e quais as recomendações para fazer o uso correto do suplemento. Nesse post vamos esclarecer essas questões, acompanhe!

Quando posso tomar colágeno?

Depende, pois existe mais de um tipo de colágeno e mais de uma situação que ele pode ser recomendado, então, a melhor opção é buscar um nutricionista para entender suas necessidades e adequar sua alimentação e suplementação.

Como é feita a prescrição de colágeno por um nutricionista? 

Não existe um modelo de conduta padrão para prescrever colágeno, mas há situações em que ele pode ser indicado de acordo com a estratégia nutricional adotada pelo profissional. Durante o atendimento clínico, o nutricionista precisa fazer o que chamamos carinhosamente de ABCD do diagnóstico nutricional.

São diferentes avaliações – Antropométricas, Bioquímicas, Culturais e Dietéticas – realizadas para que o profissional entenda todos os aspectos físicos, biológicos e socioculturais relacionados à saúde e alimentação do paciente. Depois disso é possível propor a melhor estratégia nutricional para a pessoa avaliada.

Entre os resultados das avaliações, o nutricionista irá ponderar a necessidade da inclusão de suplementos alimentares na dieta do paciente.

Vale lembrar que a prescrição de suplementos só é feita quando a pessoa não consegue atingir a quantidade diária recomendada de algum nutriente apenas pela alimentação, seja por causa do estilo de vida ou por questões de saúde em que o aumento de um nutriente específico é necessário, como muitas vezes, é o caso do colágeno. 

O colágeno é uma das principais proteínas presentes nas estruturas do nosso corpo, responsável por promover resistência e firmeza aos órgãos. Por causa disso, é fundamental para a pele, músculos, cartilagens e articulações, órgão e tecidos que mais sofrem com impactos das atividades diárias e com o passar da idade.

Para que serve colágeno? 

O colágeno é uma proteína não essencial, ou seja, é produzido pelo nosso corpo, mas com o passar dos anos, o colágeno se torna condicionalmente essencial. Isso significa que o corpo já não consegue produzi-lo em quantidades necessárias para reposição das proteínas que vamos perdendo.

O resultado é o envelhecimento dos tecidos, os sinais que mais sentimos são: pele flácida, linhas de expressão, problemas nas articulações e aumento do percentual de gordura devido à perda muscular.

Para prevenir e até mesmo tratar alguns desses sinais e sintomas, a suplementação do colágeno é uma opção, adequada em diversas estratégias nutricionais.

A prescrição pode ser feita pautada, principalmente, em seis diferentes objetivos, são eles:

  1. Retardar ou tratar envelhecimento da pele;
  2. Fortalecer ou recuperar cartilagens e articulações;
  3. Potencializar o ganho de massa muscular;
  4. Prevenir a sarcopenia;
  5. Acelerar a cicatrização de tecidos;
  6. Ou apenas para adequar a ingestão proteica sem promoção de benefícios específicos à saúde ou à beleza.  

Mas para atingir qualquer um dos objetivos listados, além da suplementação é necessário que os fatores externos que, também, interferem na produção do colágeno, como a exposição intensa e contínua ao sol, uso de cigarro e ingestão de bebidas alcoólicas mais do que 3 vezes na semana, sejam evitados ou reduzidos ao máximo.

Em contrapartida, é preciso potencializar os fatores que melhoram a produção de colágeno como a alimentação adequada em proteínas, vitaminas e minerais e a ingestão do suplemento mais adequado para cada situação. Cuidar da saúde exige mudanças em vários aspectos, por isso que um bom nutricionista dispõe de muito tempo da consulta para o ABCD do diagnóstico nutricional.

Quando o nutricionista indicará o colágeno? 

O nutricionista indicará colágeno quando notar que é necessário melhorar o estímulo da produção do colágeno natural do corpo de acordo com alguns sinais ou sintomas observados em diferentes situações, vejam quais são as mais comuns:

  • Retardar o envelhecimento da pele, cabelos e unhas fracas

Por entregar benefícios relacionados a beleza da pele, essa é a situação campeã de prescrição de colágeno. Sinais como as linhas de expressão, pele flácida, queda de cabelo e unhas fracas, são indicativos de deficiência de produção de colágeno tipo 1.

Então nessa situação o colágeno tipo 1 é sempre indicado para quem deseja atrasar o aparecimento das rugas e promover o fortalecimento das unhas e dos cabelos. 

O melhor suplemento para esse objetivo é o colágeno verisol, matéria-prima dos peptídeos bioativos de colágeno hidrolisado tipo 1, com resultado comprovado por estudos científicos. Os resultados podem ser notados após 2 meses (8 semanas) de consumo diário de 2,5g de verisol. 

O uso do suplemento pode ser sugerido para homens e mulheres a partir dos 25 anos como prevenção, e após os 35 anos é super recomendado como um tratamento para reduzir os sinais do envelhecimento.

Há estudos mostrando que além de deixar a pele mais firme e com menos rugas, o consumo do verisol por um período de 6 meses, ainda pode tratar e reduzir a celulite. Dá para entender porque ele é o campeão de prescrição, né?

  • Potencializar o ganho de massa muscular

Sintomas como fraqueza muscular e aumento do percentual de gordura sinalizam a falta de colágeno da fibra muscular, o que pode resultar em perda de massa magra e até na sarcopenia (doença grave em idosos caracterizada pela perda de massa muscular).

Nesses casos, o uso do colágeno Bodybalance é indicado para prevenir ou tratar a perda muscular. Os resultados podem ser observados após 3 meses de consumo diário de 13 g do colágeno Bodybalance, associado a rotina de exercícios.

É o único colágeno específico para a fibra muscular com comprovação científica de benefícios em idosos com sarcopenia, mulheres na menopausa (período em que o acúmulo de gordura tende ser maior) e jovens praticantes de musculação.

É um ótimo suplemento para auxiliar no aumento de massa magra e você pode tomar independente da idade e, também, pode ser usado por indivíduos intolerantes à lactose ou alérgicos a proteína do leite de vaca.

  • Cicatrização

O colágeno Verisol e o Bodybalance também podem usados em conjunto, porque assim favorecem a cicatrização de feridas decorrentes de machucados ou cirurgias estéticas e bariátricas.

Além de acelerar processos de cicatrização, ainda melhora a elasticidade da pele e previne a flacidez (comum nas cirurgias bariátricas). Nesse caso é indicado o consumo de 2,5g de verisol + 13g de Bodybalance diariamente por um tempo mínimo de 3 meses.

  • Fortalecer ou recuperar cartilagens e articulações

O colágeno é prescrito em situações mais delicadas, em que o paciente possui alto risco de desenvolver problemas relacionados ao desgaste das cartilagens e articulações como artrite e a artrose.

É, portanto, recomendado para quem pratica exercícios físicos de alto impacto (Jump, Pump, CrossFit, Spinning ou Corrida) com frequência, pessoas obesas ou que, por qualquer outro motivo, já sofrem com dores nas articulações, independente da idade. O suplemento pode ser indicado para adolescentes, jovens, adultos ou idosos.

Nessa situação o melhor suplemento é o colágeno tipo 2, feito com peptídeos bioativos de colágeno tipo 1 + a proteína não desnaturada (ou não hidrolisada) de colágeno tipo 2.

Os resultados esperados na redução da dor constante podem começar a aparecer após 3 meses de consumo diário do suplemento, porém a depender de cada caso, pode levar até 1 ano para a reconstrução parcial da cartilagem desgastada. 

É importante destacar que quando o desgaste da cartilagem está muito acentuado, o consumo do colágeno irá prevenir que ele se agrave e de forma muito gradual, favorece a reconstrução, por isso, na maioria das vezes, é necessário o uso de medicamentos analgésicos e anti-inflamatórios prescritos por médicos ortopedistas para acelerar o processo, porque é bem doloroso.  

  • Para adequar ingestão proteica do paciente sem promoção benefício específico.

O colágeno também pode ser indicado para quem precisa readequar seu consumo de proteínas, pois não ingere a quantidade proteica necessária apenas pela alimentação. Nesse caso a suplementação com colágeno é uma boa ideia.

Cada caso é um caso, geralmente o suplemento de Whey protein é o mais indicado para recuperação do balanço de proteínas, porém há situações em que o uso do colágeno pode ser melhor que o whey ou mesmo pode ser usado junto com o whey.

Porém, diferente dos peptídeos bioativos, o uso do colágeno hidrolisado não oferece nenhum tipo de benefício específico.

  • Devo sempre tomar o peptídeo bioativo de colágeno?

Não. Depende da estratégia nutricional traçada de acordo com o objetivo do paciente.

Se o desejo for utilizar o suplemento de colágeno para a promoção de benefícios específicos, um bom nutricionista deve indicar um peptídeo bioativo que melhor atende a demanda da situação, entre o verisol, bodybalance, o colágeno tipo 2 ou mesmo mais de um deles ou todos eles.  

Do contrário, se o objetivo for apenas adequar a quantidade de proteína na dieta, o colágeno hidrolisado pode ser uma boa opção.

O Nutricionista pode indicar uma marca específica?

Não pode. O nutricionista é proibido de prescrever apenas uma marca de suplemento, segundo o Código de ética e conduta do Conselho Federal de Nutrição. Ao prescrever um suplemento, o nutricionista deve indicar mais de uma marca do mesmo produto.

Nos raros casos em que não há outra opção que tenha a mesma composição ou que atenda a mesma finalidade, é permitido indicar o único existente, apresentando justificativa técnica para essa indicação de acordo com a Resolução CFN n° 599/18 no Art. 60 Inciso III.

Mas ensinar o paciente a escolher o melhor suplemento para a saúde é uma obrigação de um bom nutricionista. O profissional deve fazer uma orientação adequada para que o paciente entenda os critérios que ele deve considerar na hora de escolher o melhor produto.

Há critérios para cada tipo de suplemento, porém para garantir a funcionalidade e qualidade, todos devem conter a quantidade mínima da melhor matéria-prima, sem nenhum tipo de açúcar simples ou aditivo artificial. 

Que tal um desconto especial para experimentar o melhor colágeno para a pele?

Referências:

PROKSCH, E. et al. Oral supplementation of specific collagen peptides has beneficial effects on human skin physiology: a double-blind, placebo-controlled study. Skin pharmacology and physiology, v. 27, n. 1, p. 47-55, 2014.

PROKSCH, E. et al. Oral intake of specific bioactive collagen peptides reduces skin wrinkles and increases dermal matrix synthesis. Skin pharmacology and physiology, v. 27, n. 3, p. 113-119, 2014.

SCHUNCK, Michael et al. Dietary supplementation with specific collagen peptides has a body mass index-dependent beneficial effect on cellulite morphology. Journal of medicinal food, v. 18, n. 12, p. 1340-1348, 2015.

ZDZIEBLIK, Denise et al. Collagen peptide supplementation in combination with resistance training improves body composition and increases muscle strength in elderly sarcopenic men: a randomised controlled trial. British Journal of Nutrition, v. 114, n. 8, p. 1237-1245, 2015.

HEXSEL, Doris et al. Oral supplementation with specific bioactive collagen peptides improves nail growth and reduces symptoms of brittle nails. Journal of cosmetic dermatology, v. 16, n. 4, p. 520-526, 2017.

MCALINDON, T. E. et al. Change in knee osteoarthritis cartilage detected by delayed gadolinium enhanced magnetic resonance imaging following treatment with collagen hydrolysate: a pilot randomized controlled trial. Osteoarthritis and Cartilage, v. 19, n. 4, p. 399-405, 2011.

CONSELHO FEDERAL DE NUTRICIONISTAS. Código de Ética e de Conduta do Nutricionista.

 
Anterior

Grávida pode tomar colágeno? Benefícios e riscos

Como escolher um bom suplemento de ômega 3? Veja dicas

Próximo

Deixe um comentário