Pé de galinha tem colágeno? E gelatina?

| | ,

Pra você estar procurando se pé de galinha tem colágeno ou se a gelatina tem colágeno é porque você sabe do poder do colágeno, não é?

Nos últimos anos o colágeno se mostrou eficiente tanto para questões estéticas quanto de saúde. Por exemplo, o colágeno tipo 1 é relacionado a melhora da aparência da pele, deixando mais hidratada, suaviza as rugas e ainda melhora a celulite além de fortalecer os cabelos e as unhas. 

Enquanto o colágeno tipo 2 é utilizado como um dos tratamentos para combater as dores nas articulações e prevenir o desgaste natural da região com o avanço da idade, ou, quando causado pelo forte impacto de exercícios.

Mas quais são os alimentos ricos em colágeno? Qual é melhor, alimento ou suplemento? Pé de galinha tem colágeno? gelatina? vou conseguir os benefícios assim?

Fomos atrás dessas respostas para te ajudar a alcançar os melhores resultados para a beleza e saúde da sua pele e articulações!

Pé de galinha tem colágeno?

Pé de galinha tem colágeno mas não vai te trazer os benefícios para a pele e articulações que você espera. Realmente, alimentos de origem animal, são ricos em colágeno. Mas o grande ponto é, esse colágeno não vai ser aproveitado pelo nosso corpo.

O colágeno presente em alimentos, se assemelha ao que temos naturalmente no nosso organismo. Porém, quando consumimos o colágeno em alimentos, o processo de digestão acaba “quebrando a proteína de colágeno ” e essa quebra, torna o que era antes uma proteína de colágeno, em proteínas menores e diferentes do colágeno original.

Esse processo de digestão do colágeno, acaba resultando em outras proteínas sem ação específica, que não vão trazer benefícios específicos. Mas se sua intenção é consumir o pé de galinha para aumentar a quantidade de proteínas da sua dieta, é uma boa ideia! 

Gelatina tem colágeno?

A gelatina é a mesma questão do pé de galinha, não vai trazer os benefícios específicos para a pele, cartilagens e articulações. Apesar de até ter colágeno, diferente do pé de galinha que é um alimento natural, a gelatina merece atenção.

Merece atenção pois é considerado um alimento industrializado, o qual costuma ser adicionado diversos aditivos químicos e açúcar. Então, se você gosta de consumir gelatina, independente dele trazer benefícios para a sua pele ou não, só faça uma boa escolha.

Prefira uma gelatina que não tenha adição de açúcar nem aditivos, essas informações você consegue na tabela nutricional da gelatina e na lista de ingredientes.

Apesar da gelatina não ser específica para os benefícios do colágeno, a gelatina pode ser uma boa fonte de proteína para lanches intermediários, pois uma porção pode chegar a 10 g de proteínas.

Quantidades adequadas de proteínas, diariamente, ajuda na manutenção da massa muscular, proporcionando aquela aparência mais firme na pele.  😉 

Qual colágeno serve para a pele?

Como agora você sabe que os alimentos, apesar de serem alimentos ricos em colágeno, não irão trazer benefícios específicos, você deve estar se perguntando, então como consumir colágeno para a pele? não é?

Então, a pouco mais de 5 anos, foi desenvolvimento uma tecnologia, que conseguiu quebrar o colágeno na menor partícula de colágeno possível, sem perder a sua especificidade. Esse colágeno, específico para a pele, é o colágeno Verisol.

O Verisol é formado por 95% de peptídeos bioativos de colágeno hidrolisado tipo 1, e os outros 5% composto de colágeno tipo 3.

Esses dois colágenos são os colágenos, tipo 1 e 3, encontrados naturalmente na nossa pele, devido o suplemento ser um peptídeo, vai conseguir agir diretamente nessa região e trazer todos os benefícios para a pele. 

Agora se o objetivo é cuidar das articulações, o suplemento é outro, você deve procurar por um suplemento de proteína não desnaturada tipo 2.

Esse tipo de colágeno também vai ter ação específica, e sua melhor composição é de “peptídeo bioativo de colágeno tipo 1 + proteína não desnaturada de colágeno tipo 2” porque só assim vai ser um suplemento fonte de proteína. 

Se você optar por um colágeno tipo 2 em comprimidos, você não vai ter a porção de proteínas que teria em um suplemento com essa composição ideal que mencionamos. Mas caso seu consumo de proteínas esteja adequado, você pode optar por essa outra forma de suplementar a proteína não desnaturada de colágeno tipo 2. 

Mas por favor, não deixe de consumir esses alimentos se é um hábito seu, como mencionamos, são alimentos fontes de proteína e considerados saudáveis para a saúde (apenas saber escolher a gelatina).

Mas para os benefícios, busque por suplementos de colágeno. Pois esses sim vão trazer todos os benefícios, e isso quem fala não somos nós, são vários estudos científicos com esses suplementos mostrando seus resultados. 

Gostou? Ficou com dúvidas? Quer ver esses artigos? Deixe seu comentário aqui no final do post que nós vamos adorar conversar com você e te ajudar!

Quer saber mais?

Que tal um desconto especial para experimentar o melhor colágeno para a pele?

Referências:

SILVA, Tatiane Ferreira da; PENNA, Ana Lúcia Barretto. Colágeno: Características químicas e propriedades funcionais. Revista do Instituto Adolfo Lutz, p. 530-539, 2012.

GONÇALVES, Gleidiana Rodrigues et al. Benefícios da ingestão de colágeno para o organismo humano. Revista Eletrônica de Biologia (REB). ISSN 1983-7682, v. 8, n. 2, p. 190-206, 2015.

PROKSCH, E. et al. Oral supplementation of specific collagen peptides has beneficial effects on human skin physiology: a double-blind, placebo-controlled study. Skin pharmacology and physiology, v. 27, n. 1, p. 47-55, 2014.

PROKSCH, E. et al. Oral intake of specific bioactive collagen peptides reduces skin wrinkles and increases dermal matrix synthesis. Skin pharmacology and physiology, v. 27, n. 3, p. 113-119, 2014.

SCHUNCK, Michael et al. Dietary supplementation with specific collagen peptides has a body mass index-dependent beneficial effect on cellulite morphology. Journal of medicinal food, v. 18, n. 12, p. 1340-1348, 2015.

ZDZIEBLIK, Denise et al. Collagen peptide supplementation in combination with resistance training improves body composition and increases muscle strength in elderly sarcopenic men: a randomised controlled trial. British Journal of Nutrition, v. 114, n. 8, p. 1237-1245, 2015.

HEXSEL, Doris et al. Oral supplementation with specific bioactive collagen peptides improves nail growth and reduces symptoms of brittle nails. Journal of cosmetic dermatology, v. 16, n. 4, p. 520-526, 2017.

PADOVANI, Renata Maria et al. Dietary reference intakes: aplicabilidade das tabelas em estudos nutricionais. Revista de Nutrição, 2006.

Zague, V. A new view concerning the effects of collagen hydrolysate intake on skin properties. Arch Dermatol Res 300, 479–483 (2008). https://doi.org/10.1007/s00403-008-0888-4

 
Anterior

Vitamina C injetável | Qual a melhor maneira de suplementar?

Ômega 3 aumenta o colesterol? Dra. Priscila Gontijo

Próximo

6 comentários em “Pé de galinha tem colágeno? E gelatina?”

  1. Você falou besteira. Claro que o colágeno natural do pé de galinha(tipos 1e 2) é o melhor colágeno. Não este aí que usa “tecnologia” para quebrar e fabricar o colágeno…artificialmente.

    Responder
    • Oi Margarida, tudo bem?

      Depende! Não é que um seja melhor do que o outro e sim qual é o benefício que cada um promove ao seu organismo, bem com qual é a necessidade do seu organismo no momento.

      Comer nutrientes naturalmente dos alimentos é realmente muito bom para a saúde, porém quando pensamos na necessidade de promoção de benefícios específicos, a ciência e a tecnologia já evoluiu para comprovar que o uso de suplementos específicos é melhor dos que ingerir um alimento rico em colágeno e esperar que estará consumindo a quantidade certinha que seu corpo precisa todos os dias.

      Segue algumas sugestões de estudos para você se atualizar e entender melhor a diferença entre consumir alimentos ricos em colágeno versus o cuplemento de colágeno:

      Zague, V. A new view concerning the effects of collagen hydrolysate intake on skin properties. Arch Dermatol Res 300, 479–483 (2008). https://doi.org/10.1007/s00403-008-0888-4

      SILVA, Tatiane Ferreira da; PENNA, Ana Lúcia Barretto. Colágeno: Características químicas e propriedades funcionais. Revista do Instituto Adolfo Lutz, p. 530-539, 2012.

      GONÇALVES, Gleidiana Rodrigues et al. Benefícios da ingestão de colágeno para o organismo humano. Revista Eletrônica de Biologia (REB). ISSN 1983-7682, v. 8, n. 2, p. 190-206, 2015.

      PROKSCH, E. et al. Oral supplementation of specific collagen peptides has beneficial effects on human skin physiology: a double-blind, placebo-controlled study. Skin pharmacology and physiology, v. 27, n. 1, p. 47-55, 2014.

      PROKSCH, E. et al. Oral intake of specific bioactive collagen peptides reduces skin wrinkles and increases dermal matrix synthesis. Skin pharmacology and physiology, v. 27, n. 3, p. 113-119, 2014.

      SCHUNCK, Michael et al. Dietary supplementation with specific collagen peptides has a body mass index-dependent beneficial effect on cellulite morphology. Journal of medicinal food, v. 18, n. 12, p. 1340-1348, 2015.

      ZDZIEBLIK, Denise et al. Collagen peptide supplementation in combination with resistance training improves body composition and increases muscle strength in elderly sarcopenic men: a randomised controlled trial. British Journal of Nutrition, v. 114, n. 8, p. 1237-1245, 2015.

      HEXSEL, Doris et al. Oral supplementation with specific bioactive collagen peptides improves nail growth and reduces symptoms of brittle nails. Journal of cosmetic dermatology, v. 16, n. 4, p. 520-526, 2017.

      PADOVANI, Renata Maria et al. Dietary reference intakes: aplicabilidade das tabelas em estudos nutricionais. Revista de Nutrição, 2006.

      Sigo à disposição se puder ajudar com mais alguma informação =).
      Abraços!

      Responder
  2. https://www.equipemaissaude.com/pe-de-frango-e-saudavel/
    Então, no site citado acima, constam uma reportagem médica que fala justamente o contrário do que vocês estão falando… Será que é porque vocês estão a vender esse nutriente (colágeno, entre outros) em cápsulas???? Achei bem duvidoso esses comentários de vocês… Principalmente a intenção, então gostaria de saber se há algum argumento que possa desmerecer a reportagem do outro site que fortaleça a autoridade de vocês sobre o assunto.
    Grata
    . Alessandra

    Responder
    • Alessandra, como você está?

      Nossos conteúdos todos são feitos com estudos científicos que possuem comprovação, feitos por instituições nacionais e/ou internacionais. No final do nosso conteúdo você poderá ver todas as referências e estudos que comprovam os argumentos do texto. Acredito que eles sejam as fontes mais confiáveis que você pode conferir. 😉

      Não fazemos conteúdo comercial, e sim informativo. Inclusive somos contra empresas que fazem conteúdos apelativos e enganosos com a intenção de vender. Nossa intenção é informar, instruir e ajudá-los a fazer boas escolhas.

      Espero ter lhe ajudado!

      Abraços

      Responder
    • Oi Gisele, tudo bem?
      Sim. O pé de galinha tem todos os tipos de colágeno, inclusive o tipo 1 e o tipo 2.

      Mas não é possível saber o quanto de colágeno seu corpo consegue absorver ao ingerir o pé de galinha. Porque muitos fatores que vão desde o modo de preparo até a cocção, podem interferir na absorção do colágeno. Além disso, ao ingerir colágeno de alimentos, nosso corpo degrada a proteína e produz novas proteínas de acordo com a necessidade do metabolismo, podendo não produzir especificamente o colágeno tipo 2 ou tipo 1.

      Por isso que os suplementos específicos foram desenvolvidos.

      Outro ponto é que o colágeno precisa ser consumido em quantidades satisfatórias todos os dias, e não acredito que alguém consiga comer pé de galinha todos os dias.

      Sigo à disposição se puder ajudar com mais alguma informação.

      Responder

Deixe um comentário