Aqui vamos te dar base para entender como a suplementação de Ômega 3 atua no exercício, principalmente para os praticantes de corrida.

Lembrando que nosso conteúdo é baseado em literatura científica. Então, vamos te explicar o que os estudiosos da área estão dizendo para você ter um conhecimento de qualidade através de uma leitura leve 😉  

E o melhor de tudo, conversar sobre o assunto com todos de forma empoderada!

Para saber mais sobre ômega 3 e os seus benefícios, veja a explicação de uma especialista:

Quais corredores se beneficiam do Ômega 3

Na verdade, todos os corredores podem se beneficiar, é necessário apenas uma avaliação do seu estado de saúde para assegurar maiores benefícios e recomendações confiáveis. 

O ômega 3 é capaz diminuir processos inflamatórios que prejudicam a recuperação após o treino, além de melhorar parâmetros cardiovasculares e possuir ação antioxidante. 

Além disso, há trabalhos mostrando um menor consumo de oxigênio, redução na frequência cardíaca e percepção de esforço durante exercícios de predominância aeróbica como a bicicleta e corridas. Respostas essas, que ajudam no desempenho esportivo além de melhorar a saúde.

Ômega 3 e frequência cardíaca

A frequência cardíaca parece apresentar resposta de acordo com a intensidade do exercício. Um estudo recente, avaliou que a suplementação de 5 semanas de ômega 3 rico em DHA diminuiu a frequência cardíaca em um exercício moderado.

Enquanto para exercícios de alta intensidade não há efeito do ômega 3 sobre a frequência cardíaca. Esse resultado é interessante já que a frequência cardíaca é relacionada diretamente com a percepção de esforço.

Quanto maior a frequência cardíaca maior o esforço percebido, e vice e versa. E essa variação, pode impactar no seu planejamento semanal de treinos.

Intensidade do treino semanal e concentração de Ômega 3

Muitos que correm controlam a distância percorrida semanalmente. E fazem isso pensando em periodização de treinamento que é uma forma de conseguir melhores resultados no exercício. Principalmente para melhorar seu condicionamento físico e para preparação de provas com quilometragem maior do que a percorrida no treino.

Pensando nesses corredores de maior quilometragem, um estudo agora de 2019 descobriu que aqueles que corriam maiores distâncias tinham menores concentrações de ômega 3 no sangue. Essa diminuição da concentração de ômega 3 em corredores foi para aqueles que corriam pelo menos 75km por semana em média.

 

E isso implica em possível de ficiência de ômega 3 a médio e longo prazo, porém as recomendações para esses corredores ainda não é específica, recomendando-se a ingestão recomendada para pessoas saudavéis de acordo com a literatura científica que varia em média de 1200mg/dia de EPA + DHA.

Além desse trabalho, um trabalho observacional, avaliou a concentração de EPA e DHA em mais de 100 atletas de elite de corrida especializadas em provas de inverno, os valores de ômega 3 recomendados foi encontrado apenas em 1 de 106 atletas.

Os autores relatam que a suplementação dessa gordura pode ajudar a evitar problemas cardiovasculares como morte súbita por problemas cardíacos e melhora de função cerebral, como prevenção de doenças para corredoras de elite.

Mecanismos fisiológicos – Desempenho e suplementação de ômega 3

Quando falamos em melhora de desempenho, nosso organismo precisa gerar respostas de adaptação a prática realizada para conseguir evoluir e conseguir melhores resultados.

Um exemplo: os corredores calculam o “pace” (tempo necessário para correr 1km) durante seus treinos, e com a continuidade, a tendência é conseguir tempos cada vez menores.  Isso só acontece porque você passa por adaptações em mecanismos fisiológicos. 

E um dos mecanismos envolvidos na melhora do desempenho atlético se trata da eficiência na utilização dos substratos energéticos. Sabendo disso, a molécula de energia, a ATP (Adenosina trifosfato), é a responsável por fornecer energia aos tecidos e para isso acontecer de forma mais eficiente o principal mecanismo envolvido é biogênese mitocondrial.

Um processo caracterizado como o aumento do volume mitocondrial capaz de fornecer ainda mais energia ao organismo, auxiliando assim na melhora da performance.

Consenso dos cientistas sobre a suplementação de Ômega 3 para melhora do desempenho

Bom, nós queríamos afirmar todos os benefícios do ômega 3 para esse público, porém a verdade é que a literatura científica ainda está aumentando. Porém, os cientistas encontraram resultados dos benefícios do ômega 3 para a performance e promoção da saúde de corredores e praticantes de exercício. 

E a conclusão de tudo isso é que apesar dos estudos limitados, parece que a suplementação de ômega 3 tem um papel promissor no esporte. Seus efeitos benéficos ao organismo também parecem se aplicar para esse público com a melhora da saúde e performance.

Quer saber mais?

Que tal um desconto especial para experimentar um ômega 3 de altíssima qualidade?

Referências:

DAVINELLI, Sergio et al. Relationship Between Distance Run Per Week, Omega-3 Index, and Arachidonic Acid (AA)/Eicosapentaenoic Acid (EPA) Ratio: An Observational Retrospective Study in Non-elite Runners. Frontiers in physiology, v. 10, p. 487, 2019.

PHILPOTT, Jordan D.; WITARD, Oliver C.; GALLOWAY, Stuart DR. Applications of omega-3 polyunsaturated fatty acid supplementation for sport performance. Research in Sports Medicine, v. 27, n. 2, p. 219-237, 2019.

GARCIA-ROVES, Pablo et al. Raising plasma fatty acid concentration induces increased biogenesis of mitochondria in skeletal muscle. Proceedings of the National Academy of Sciences, v. 104, n. 25, p. 10709-10713, 2007.

MACARTNEY, Michael J. et al. Intrinsic heart rate recovery after dynamic exercise is improved with an increased omega-3 index in healthy males. British Journal of Nutrition, v. 112, n. 12, p. 1984-1992, 2014.

LIU, Aihua; JI, Jian. Omega-3 essential fatty acids therapy for dry eye syndrome: a meta-analysis of randomized controlled studies. Medical science monitor: international medical journal of experimental and clinical research, v. 20, p. 1583, 2014.