Meditação é o caminho para a purificação mental, prática milenar que deixou de ter significado apenas religioso e se tornou um grande associado para quem está em busca de melhorar a saúde, principalmente mental e em ambientes caóticos do meio urbano.

No livro “Medicina e meditação: um médico ensina a meditar”, por Roberto Cardoso, ele associa a nossa mente a computadores de uma empresa, que estão o tempo todo trabalhando, sem descanso, com a ideia de que ser produtivo é estar atarefado. “Criamos o paradigma que “parar é perder”. Contudo, por alguns minutos por dia, poderíamos dizer que “parar é crescer”, afirma o autor. Com essa linha de raciocínio, a meditação se torna um meio para driblar as construções sociais que habitam a mente, para atingir a percepção do seu real papel e o estado meditativo, através da observação interior.

Para outros especialistas, meditar é a forma de viver a plenitude da vida, independente das dificuldades ou facilidades do momento. É encarar profundamente a realidade, de maneira que as barreiras e os estresses do dia e dia sejam rompidos.

Para quê serve

A técnica tem sido utilizada por muitas pessoas para atingir conforto e tranquilidade mental, física e emocional. Ainda empregando a metáfora dos computadores de uma empresa, como os aparelhos, nossa mente é sobrecarregada com funções do dia a dia, e é muito raro que encontremos um momento para se concentrar em nós mesmos, sem influência do meio externo. Desta maneira, a meditação representa um refúgio para o corpo e a mente.

Em um estudo realizado com frequentadores de centros de meditação em Porto Alegre, foi observada a influência da pratica na vida dessas pessoas. Através da análise do conteúdo colhido, algumas categorias de benefícios foram citadas: físicas, emocionais, cognitivas, espirituais, sociais e outras. Foi concluído que a meditação reflete em vários âmbitos da vida e do corpo humano e a predominância está nos campos cognitivos e emocionais. Com isso, a prática pode ser um grande auxílio para a saúde psicológica. Além dessa evidência, nessa pesquisa há o relato da melhora da ansiedade e depressão após o início da prática.

Entretanto, outros estudos são realizados para comprovar ou não a relação da meditação com a saúde, e os resultados variam bastante. A prática da meditação tem crescido muito nos últimos anos, e com isso, o lucro também aumenta, o que coloca outros interesses em cima da técnica – aqui é válido lembrar que inúmeros aplicativos de smartphones foram criados para atender a demanda de praticantes. Por isso, é importante pesquisar e reconhecer o verdadeiro motivo da sua busca pela meditação.

Tipos de meditação

Não existe uma fórmula única para executá-la, há vários caminhos para alcançar a purificação mental e é complexo garantir que um pode ser melhor que o outro, pois cada praticante possui uma experiência diferente. Por isso, veja alguns tipos de meditações a seguir:

Meditação Zazen

Faz parte da prática zen-budista e segundo os próprios praticantes, é muito difícil de ser explicado. A prática vai além do que pode ser esclarecido e pode ser simplificada como a percepção do interior e investigação do sentido da existência. “É muito difícil explicar o que é zazen com palavras: a única forma de entendê-lo é praticá-lo. Praticar zazen é ir além do pensar e do não pensar, é ir além do eu e do não-eu. É maravilhar-se continuamente com o relacionamento de todas as coisas”.

Meditação Transcedental

Também conhecida como MT, é a experiência de conhecer a si mesmo. Colocar os fatores externos a nós como segundo plano e focar sua atenção para dentro, de maneira natural, sem que seja preciso tentar entrar neste estado. “É como se ela (mente) estivesse voltando para casa. A MT é um processo mental simples, natural, sem esforço e agradável. É a única forma eficaz de experimentar o estado puro da consciência”. 

Meditação Mindfulness

O termo pode ser traduzido como ‘atenção plena’ e, segundo participantes, “pesquisas afirmam que a nossa felicidade pode estar diretamente relacionada a nossa consciência do momento presente, e Mindfulness é uma ferramenta poderosa para desenvolver essa habilidade”. Quase metade do tempo estamos agindo no “piloto automático”, ou seja, não prestamos total atenção em nossas ações. Você já esqueceu se tinha ou não passado shampoo no banho? Já voltou no quarto para ver se realmente tinha apagado a luz? São essas pequenas coisas que podem nos mostrar o quanto deixamos o tempo presente de lado e focamos em outros momentos, e é justamente aí que a prática de Mindfulness irá agir.